Home > Notícias > Educação e Juventude > Professor Fernando Penna recebe Medalha Tiradentes

Professor Fernando Penna recebe Medalha Tiradentes

Na manhã desta segunda-feira (5/3), o plenário da Alerj abarcou uma temática urgente para a sociedade: a democracia no espaço escolar. É esta a principal bandeira do homenageado do dia, professor e coordenador do Movimento Educação Democrática, Fernando Penna, que recebeu a maior condecoração da Casa, a Medalha Tiradentes, pelas mãos do deputado estadual Flavio Serafini (PSOL/RJ), em parceria com os mandatos dos vereadores Tarcísio Motta (RJ), Renato Cinco (RJ) e da vereadora Talíria Petrone (Niterói). A cerimônia contou ainda com a entrega de uma moção honrosa concedida de Cinco a Penna e outra moção de Tarcísio a Paulo Freire por sua contribuição histórica na construção de uma escola que nos ajude a pensar. Na mesa, além dos vereadores, para receber a homenagem, estava a professora e companheira de vida de Paulo Freire, Ana Maria Araujo Freire.

Tarcísio mostrou satisfação ao homenagear os dois professores: “Estamos aqui para homenagear uma pessoa que combate e defende uma escola democrática, e outro que é referência de todos nós”, avaliou. Mesma satisfação compartilhou Talíria, que ressaltou a importância da democracia nas escolas para garantir espaço para negros e negras, mulheres e LGBT: “Muito orgulho de compartilhar um momento como esse nesses tempos: que precarizam e silenciam a educação”.

Prestigiaram ainda representantes de movimentos como o Observatório da Laicidade na Educação (OLE). “Lutamos e pesquisamos incessantemente por uma educação pública, gratuita, de qualidade, laica e democrática. Educação é um ato político e de amor”, José Sepulveda, do OLE. E ainda Movimento Educação Democrática, Associação dos estudantes do Rio de Janeiro, Sindicato Estadual dos Professores do Estado do Rio de Janeiro (SEPE-RJ), entre outros.

Ana Maria Araujo Freire fez questão de reafirmar a importância do protagonismo das mulheres em espaços como o da Alerj e na luta pela educação. Ela comentou ainda sobre o reducionismo a toda obra de Paulo Freire que críticos ao educador atuais propõem. “Paulo estaria extremamente triste com os rumos da educação”, avaliou.

Flavio Serafini lembrou que para seu mandato a entrega da Medalha é uma forma de marcar posição política também de lados que sempre foram alijados dentro da Alerj. “Fazemos questão de dar voz aos que nunca tiveram voz, a homenagear a tantos lutadores e lutadoras que defenderam a democracia, a sociedade plural, mas suas lutas foram silenciadas. Hoje reconhecemos dois grandes lutadores, que, ambos lutam, cada um de sua forma e em seu tempo, por uma educação emancipadora”.

Por fim, Fernando Penna, em seu discurso final, informou que só aceitou a homenagem se ela pudesse ser estendida a todos os seus companheiros e companheiras que lutam ao seu lado no Movimento Educação Democrática. Ele fez questão de reforçar que nesses tempos sombrios é importante o diálogo. “Quando as pessoas usam o termo ideologia de gênero é para desqualificar a pauta, mas muita gente não sabe o que realmente isso significa, não sabem que é para combater o machismo, a lgbtfobia, a desigualdade de gênero. Temos duas visões de escola destes que não querem debater esses assuntos nas escolas. Nós estamos ao lado daqueles que sofrem com as opressões cotidianamente”, discursou o professor.

Em 05/03/2018, por Viviane da Rosa Tavares.