Home > Notícias > Mais Notícias > Derrota dos servidores públicos

Derrota dos servidores públicos

Depois de adiar por conta da resistência dos servidores do estado do Rio de Janeiro, o governador Luiz Fernando Pezão começou uma série de reuniões com deputados estaduais e aprovou nesta quarta-feira (24/5) o projeto que aumenta a alíquota previdenciária dos servidores de 11% para 14%.

Num contexto em que os servidores estão com salários atrasados e defasados, a votação passou com  39 votos a favor e 26 contra. Os servidores não puderam acompanhar a votação e Jorge Picciani que saiu de sua licença médica para conduzir essa sessão justificou que foi por conta da segurança. Do lado de fora, mais um cenário truculento da polícia e a Alerj completamente sitiada.

Vale lembrar que essa votação não salvará a Rio Previdência e não deixará os salários em dia. De acordo com a bancada do PSOL, não existe aumento de alíquota que consiga equilibrar o PLANO FINANCEIRO, pois NÃO entram novos servidores ativos para aumentar a contribuição e MUITOS se aposentam, portanto, a tendência é aumentar o deficit atuarial. Querem mexer no plano previdenciário para salvar o financeiro. Ou seja, a realidade não vai mudar. Se não for instituída outra fonte de custeio, não há aumento de alíquota que equilibre a dívida de R$ 12 bilhões que só tende a aumentar.

 

Confira os deputados que votaram a favor do aumento da contribuição previdenciária dos servidores públicos estaduais, de 11% para 14%:

Ana Paula Rechuan (PMDB)
André Ceciliano (sem partido)
André Corrêa (DEM)
Aramis Brito (PHS)
Átila Nunes (PMDB)
Carlos Macedo (PRB)
Chiquinho da Mangueira (PTN)
Cidinha Campos (PDT)
Coronel Jairo (PMDB)
Danielle Guerreiro (PMDB)
Dica (PTN)
Dionisio Lins (PP)
Dr. Deodalto (DEM)
Dr Gotardo Estadual (PSL)
Benedito Alves (PRB)
Paulo Melo (PMDB)
Marcos Abrahão
Edson Albertassi (PMDB)
Fábio Silva (PMDB)
Deputada Fatinha (SDD)
Figueiredo (PROD)
Geraldo Moreira (PTN)
Geraldo Pudim (PMDB)
Gil Viana (PSB) S
Gustavo Tutuca (PMDB)
Iranildo Campos (PSD)
Jorge Picciani (PMDB)
Luiz Martins (PDT)
Marcos Vinícius (PTB)
Milton Rangel (DEM)
Nivaldo Mulim (PR)
Rafael Picciani (PMDB)
Renato Cozzolino (PR)
Rosenverg Reis (PMDB)
Zé Luiz Anchite (PP)
Tia Ju (PRB)
Zito (PP)
João Peixoto (PSDC)