Home > Papo Reto > Frente Estadual Escola Sem Mordaça. Entenda o que é!

Frente Estadual Escola Sem Mordaça. Entenda o que é!

Neste sábado (15/10) foi lançada no Rio de Janeiro a Frente Estadual Escola Sem Mordaça com diferentes entidades com o objetivo de promover debates e esclarecer à população o que realmente significa o chamado “Escola sem Partido”. Confira:
1) O que é essa Frente Estadual Escola Sem Mordaça e quem já está integrando?

A Frente se constitui na articulação de várias entidades, intelectuais e movimentos de profissionais em educação, estudantes, pais e/ou responsáveis para enfrentar as iniciativas de lei associadas ao Movimento Escola sem Partido que foram apresentadas na ALERJ e em diferentes casas legislativas no Estado. Já se integraram As Frentes Nacionais Povo sem Medo, Brasil Popular e Esquerda Socialista, a Central Única dos Trabalhadores, o Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação, a Federação dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino no Estado do RJ, a Associação dos Estudantes Secundaristas do Estado do RJ, a Associação Municipal de Estudantes Secundaristas do Rio, o DCE da UFRJ, entre outras organizações, mandatos de vereadores e deputados.

2) Qual será a principal atuação desta Frente?
Promover o debate sobre os projetos de Lei da Mordaça com suas consequências nefastas para o processo de construção do pensamento crítico e para a liberdade de aprender e ensinar nas escolas como também contribuir para a construção de Frentes Municipais e Comitês por local de estudo, trabalho, moradia e etc.
3) O que representa esse ataque à educação?
Em nome de uma suposta “neutralidade”, os defensores da Lei da Mordaça querem instalar a dinâmica do pensamento único, subordinar a autonomia pedagógica dos profissionais em educação a difusos e particulares “valores morais das famílias”, estabelecer um verdadeiro clima de tribunal pedagógico em cada escola com o objetivo de criminalizar professores e alunos que queiram promover debates sobre determinados conteúdos e temas da atualidade.
As proibições sugeridas nos projetos de lei evidenciam profundo desconhecimento dos processos de aprender e ensinar e sinalizam com um modelo de escola alijado de seu principal papel social que é a formação plena, cientificamente sólida e cidadã dos educandos.
Confira a cartilha escola_sem_partido que o mandato realizou!