Home > Destaques > Quanto vale uma vida? Quanto vale o Rio Doce?

Quanto vale uma vida? Quanto vale o Rio Doce?

O rompimento de duas barragens na cidade mineira de Mariana foi uma tragédia de proporção histórica. Para o deputado estadual Flavio Serafini, a forma como o Governo Federal vem atuando merece ser questionada. O parlamentar se atém nessa breve entrevista sobre o valor da multa à empresa responsável, no caso a Samarco, quer dizer, a Vale S/A e a BHP Billiton, que dividem o controle acionário da empresa.

 

#EquipeFlavioSerafini: Como vê a multa do Governo Federal à Samarco?

 

– O Governo Federal estipulou uma multa de R$ 250 milhões à Samarco. É claro que o valor é ridículo diante da catástrofe que soterrou o distrito com lama repleta de material tóxico e resultou em mortes e desaparecimentos de moradores dali. A lama corre cidades e aumenta a extensão do desastre. E, nesse contexto, salta aos olhos o fato de o governo apresentar o valor da multa antes de contabilizar os estragos.

 

#EquipeFlavioSerafini: Mas como fazer esse cálculo?

– Algumas perguntas me vêm à mente nessa hora: qual é o valor das vidas perdidas? Houve um cálculo criterioso em relação aos bens materiais das famílias ali? E quanto à destruição do Rio Doce? Qual é o preço? Houve um orçamento qualificado sobre a recuperação daquele ecossistema totalmente comprometido? A multa é preliminar, mas, cobrada dessa forma apressada, como se quisesse dar uma resposta à sociedade, mais confunde do que busca uma solução. O valor foi tão fora da realidade que o Ministério Público Estadual de Minas Gerais já estima um valor como multa de R$ 1 bilhão, e mesmo este é distante de algo razoável.