Home > Notícias > Educação e Juventude > Ciep deve voltar a servir à população

Ciep deve voltar a servir à população

ciepQuase todo mundo que morou perto ou estudou em um Ciep tem uma história para contar. De casamento a acesso às bibliotecas, o papel desse modelo de educação que previa o ensino integral está extinto e as estruturas dessas escolas estão cada vez mais abandonadas. Para discutir o que fazer com as unidades que se encontram em pleno descaso, no dia 16/9, pela manhã, a audiência pública da Comissão Estadual da Educação discutiu o tema. O encontro aconteceu no Colégio Estadual Paulo de Assis Ribeiro (CEPAR) em Pendotiba, Niterói.

Aproveitando a pauta e a localidade, foi lembrado também o CIEP Esther Botelho, cujo impasse sobre a destinação nosso mandato vem acompanhando de perto. Instigados pela comunidade local, pelo deputado estadual Flavio Serafini e pelo vereador Henrique Vieira, ambos do PSOL, foi pedida a retomada do espaço como unidade escolar. Hoje, o Ciep está completamente destruído pelo descaso do poder público. Desde 17 de setembro de 2013, o CIEP Esther Botelho está sob responsabilidade da FAETEC. A Comissão de Educação encaminhou formalmente a responsabilização da FAETEC pela destruição do local e restituição do mobiliário, que em grande parte foi inutilizado ou roubado.

Com a desistência de utilização do espaço pelo poder estadual, foi indicado ainda pela comissão a municipalização da unidade nos moldes do seu projeto político pedagógico, isto é, para educação integral. Como já mostramos aqui, a comunidade escolar do Colégio Municipal Horácio Pacheco reivindica sua transferência para o local. Segundo os educadores, no novo espaço seria possível expandir as atividades como a implantação do segundo segmento do ensino fundamental e o integral, o que não é possível no atual local.

“A revitalização e volta do CIEP Esther Botelho como unidade escolar seria de fundamental importância para as demandas da comunidade do entorno e da população niteroiense em geral. O modelo dos CIEPS é uma das grandes referências de uma educação que pode ser resposta às situações de vulnerabilidade que grande parte das crianças e jovens passam nos dias atuais”, afirmou Flavio Serafini.