Home > Notícias > Justiça Socio Ambiental > Crise hídrica avança para a Região dos Lagos

Crise hídrica avança para a Região dos Lagos

lagoaO centro da pauta da CPI da Crise Hídrica – em função da qual os parlamentares se reuniram nesta quinta-feira (30/04) – foi a tentativa de compreender os motivos do déficit hídrico na região das Bacias Hidrográficas das Lagoa de Araruama, Saquarema e dos rios São João, especialmente nos períodos de veraneio, e o déficit de esgotamento sanitário dessa região. Segundo a própria Pró-Lagos, concessionária responsável pelo saneamento básico dos municípios dali, faltam ainda 26% do total para equacioná-lo (o critério da Pró-Lagos para calculá-lo contabiliza apenas as áreas urbanas e, mesmo assim, faltou clareza para explicá-lo).

Um caso absurdo foi o de Arraial do Cabo, que abriu mão de que a Pró-Lagos faça o o esgotamento sanitário. A consequência disso é que a Lagoa de Araruama e praias do município de Arraial do Cabo recebem esgoto in natura.

Outro absurdo foi levantado pelo deputado estadual Flavio Serafini, que pediu para que se investigue se a Itograss, empresa que produziu todos os gramados para a Copa do Mundo, despejou agrotóxico e fertilizantes na Lagoa de Saquarema e no mar. A própria presidente do Comitê de Bacias da região, Dalva Mansur, informou que entrou com uma representação no Ministério Publico Estadual para averiguar se houve uso irregular dos recursos hídricos na área. O depurado estadual Janio Mendes (PDT) contou que, ao visitar a Serra do Mato Grosso, em Saquarema, deparou-se com nascentes secas. Há moradores que associam a produção de grama da empresa ao fato de a própria empresa ter poços subterrâneos, que estariam drenando a água da região. A discussão levou os parlamentares a marcar uma diligência da CPI no local.