Home > Notícias > Justiça Socio Ambiental > Circuito das lutas: Nova Friburgo e Guapiaçu

Circuito das lutas: Nova Friburgo e Guapiaçu

circuito das lutasLuta dos trabalhadores do interior do Rio são ouvidas pelo mandato

O fim de semana foi de acompanhamento de luta no interior. O primeiro destino foi o condomínio Terra Nova, em Conselheiro Paulino, em Nova Friburgo no sábado, dia 14 de março. O mandato Flavio Serafini visitou os moradores, que foram vítimas das enchentes que assolaram a cidade em 2011. Eles foram levados para um condomínio com 2000 apartamentos, sem infraestrutura e longe do centro urbano. Durante a reunião, entre as principais denúncias, estavam a falta de estrutura como creche, escola, posto de saúde, além das condições sanitárias como esgoto a céu aberto e as péssimas condições estruturais das moradias.

No mesmo dia, o mandato visitou o Alto do Schuenck, uma região agrícola da cidade, e único distrito de Nova Friburgo que não tem uma escola estadual. Reconhecida historicamente por sua relação com o debate agroecológico, os produtores rurais e familiares expuseram a demanda por uma escola rural, além da assistência técnica concedida pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado (Emater).

No domingo, dia 15, a incursão foi pelo projeto de construção da Barragem do Guapiaçu, em Cachoeiras de Macacu, projeto capitaneado pelo Governo do Estado e que se arrasta há alguns anos acumulando uma série de violações de direitos. A visita, além do mandato, também contou com representantes do PSOL Nova Friburgo e do PSOL Cachoeiras de Macacu.

A comitiva foi recebida pelo presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Agricultura Familiar, João Antenir, que apresentou o projeto. De acordo com João, cerca de 3000 pessoas seriam impactadas diretamente, tendo que largar suas atividades no campo, com uma indenização de apenas R$5 mil por hectare. O nosso mandato se colocou à disposição do Sindicato e das frentes de resistência à barragem para auxiliar na consolidação do projeto alternativo defendido pelos agricultores, que seria a construção de três pequenas barragens que causariam menos impacto ao meio ambiente e à população local. Serafini manifestou ainda interesse em se reunir com o técnico responsável pelo projeto alternativo, para conhecer de perto a proposta e poder defendê-la na ALERJ.

  • Com colaboração do PSOL Cachoeiras de Macacu